Ansiedade por cause de sei lá o que

Bom, eu me mudei da Polônia pra Holanda há um mês, e no início eu achei que tudo seria simples pra caramba uma vez que a mudança do Brasil pra Polônia tinha sido hardocore, porra nenhuma, tava enganado.

Mesma canseira, mas pelo menos aqui o povo fala inglês e não desliga o telefone na tua cara se você não fala Dutch. É isso aí, na Polônia se tu ligar pra um lugar e o cara não falar inglês ele desliga na tua face o telefone.

Mas o fato é que mesmo com essa facilidade eu to estressado pra caralho, puta merda…. já tinha um tempo que eu nem tomava remédio nenhum pra controlar a porra da ansiedade mas ontem eu abri… tomei o remédio pq eu não tava aguentando mais de tanta loucura.

Obviamente a situação tá melhorando, a família ta tendo uma rotina, escola já ta arrumada e tal, mas eu ainda to muito cansado dessa porra toda e tenho vontade de mandar todo mundo para o quinto do inferno, atoa.

Acho que vou dar uma acalmada agora no próximo mês, pois também fiquei meio sem grana aqui e isso deu uma ajudada no estresse, e como tomei esse remédio ontem acho que jaja fica tudo em paz.

O mais foda de estar ansioso (eu aprendi que eu não sou, mas que eu estou) é tentar identificar o motivo que te trouxe pra esse estado e essa é uma tarefa muito difícil. A vida depois que mudei do Brasil está melhor em vários aspectos, mas o fato de não estar falando sua lingua nativa, por mais que você fale bem inglês, cansa demais, as vezes eu simplesmente queria apenas ficar calado, sem falar com ninguém, mas né… num rola, tenho que trabalhar e trabalhar involve conversar com as pessoas.

Fora isso também tem todo esse processo de mudança, de abrir mão de uma porrada de coisa que demorou um tempão pra conseguir, obviamente a gente ganha outras coisas, como segurança e qualidade de vida (que eu estou em busca), mas faz falta.

Mas é isso, eventualmente eu vou escrever algumas aleatoriedades aqui só pra mim mesmo, e para qualquer louco que consiga ler e se interessar por isso aqui.

No fim eu to ligado que jaja fica tudo de boa, eu vou conseguir me sentir melhor, mas que depois tem mais problema pra me estressar e essa porra volta tudo novamente.

Cheers!

Encontrar problema onde não tem problema? Deixa comigo!

Hoje foi um dia daqueles que todo mundo julgaria normal, mas, com toda complicação que habita meu ser, minha pequena cabeça em particular, um “pequeno” problema conseguiu foder a porra toda.

É isso aí, UM problema fode tudo. Na real eu acho até que vou conseguir resolver rápido e, neste momento não ta fazendo a menor diferença na minha vida, entretanto eu tenho o dom de criar complicação onde não tem.

O fato é que eu to na caralha de um país que fala uma lígua difícil demais e pra ficar tudo mais legal 50% do povo (estatística altamente com base em chute) não se comunica em inglês, não que eu seja o senhor do inglês mas eu consigo resolver meus problemas na Inglaterra na boa, já na Polônia….tsc tsc tsc.

Anyway, falei com minha dignissíma esposa sobre o dito problema e ela me disse, simplesmente, assim:

“Mas amor, tá dando tudo certo atualmente, não precisa de ficar estressdo por causa disso.”

Foda né? Mas é verdade, não teria mesmo que ficar estressado, chateado, confuso ou seja lá o que eu to sentindo por causa “disso”, mas então respondi pra ela:

“Verdade amor, mas então eu devo ser muito complicado por não ter esse dissernimento e um pequeno problema me fode todo o dia….(várias retiscencias).”

Pronto, eis que aqui estou escrevendo sobre isso para a posteridade, daí então eu poder eu ler e tentar não me autoflagelar tanto por causa de uma porra de um caralho de uma merda de um problema que vai ser resolvido. E mais, não ficar mirabolando planos imbecís pra tentar resolver o negócio antes mesmo de ver o resultado da primeira ação consciente tomada.

É isso, diante do problema eu até me saio bem e tenho boas idéias pra resolver e normalmente tomo ações, boas ações btw, mas depois vem as minhocas na cabeça e daí dá no que dá…. isso aí que você está lendo.

Não é querendo justificar nada, certamente não tem justificativa eu ficar puto por causa de uma parada que eu nem sei o resultado ainda, mas de um ano pra cá ta sendo foda demais de tanta coisa que tem mudado na vida da minha família. Pode ser, acredito muito nisso aliás, que esteja me influênciando a ficar mais maluco ainda nessas situações.

E sabe o mais foda? Mais mudanças estão por vir. Não sei se já comentei com vocês mas atualmente moro na Polônia, e depois de 1 ano aqui, já com moradia, criança na escola, mulher com a rotina dela eu coma minha pseudo rotina também, lá vamos nós novamente nos mudar.

Aguardem, certamente vou achar mais problema onde não tem em breve :D.

Do zobaczenia!

Quando ajudar acaba atrapalhando

Talvez o maior erro do Brasileiro morando fora do Brasil seja achar que todo Brasileiro é amigo em potencial.

Obviamente existem de fato boas amizades construídas fora das terras tupiniquins, mas são excessões.

Muitos Brasileiros que saem do Brasil preferem simplesmente não ter mais contato com outros Brasileiros, eu como bom mineiro que conversa até sozinho sou totalmente o contrário, na real eu quero falar com todo mundo, mas me sinto bem melhor falando em Português Brasileiro (É eu não me sinto confortável conversando Português de Portugal).

O fato é que além de querer falar com todo mundo eu tenho um maldito instinto natural de querer salvar a humanidade, ajudar todo mundo, me colocar a disposição pra tudo e ser quem tenta juntar todos…. o resultado disso, normalmente, é frustração total.

É foda, foda demais, pois a minha esposa fica insanamente puta quando eu faço essas coisas pq ela ta ligada que vai dar merda, e eu também sei que vai dar no fundo no fundo, mas eu vou lá e faço novamente…. o lance agora é que eu to meio de saco cheio e vou parar com isso (já disse isso também um monte de vezes) e tentar ser mais normal (se é que isso seja normal) e não ser tão solícito.

É só um desabafo e não é fato exclusivo pelo fato de estar morando fora do Brasil, lá eu também me fodia direto com essas atitudes, mas aqui, longe de “casa”, o potencial para se foder e se frustrar ainda mais é gigantesco.

 

Inglês depois do fim de semana

Há algum tempo venho percebendo que após os finais de semana, onde normalmente me encontro com bastante brasileiros, eu chego para trabalhar um pouco mais burro que o normal, quero dizer, tenho uma dificuldade lazarenta pra conversar em inglês, de me concentrar, de ir em frente e de ter algum rítmo de trabalho.

Sei lá o que pode tá acontecendo, talvez meu estilo de vida não ajude muito para que isso não aconteça, mas o fato é que até eu pegar no tranco demora pelo menos uma meia segunda-feira.

A parte menos pior é que boa parte dos meus peers estão em Londers e estão 1 fuso horário na minha frente, o que significa que começam a trabalhar apenas 1 hora após eu começar e parece que eles também só funcionam bem na parte da tarde…. coincidência?

Eu preciso mesmo é de fazer algo pra identificar o que tá rolando pra resolver rápido antes que isso impacte de alguma forma no meu trabalho.

E apesar de eu ter dado alguma ênfase no inglês no título do post, e certamente este é o maior ponto de dor na segunda-feira, o fato é que eu não quero nem sair da cama nesse dia. 😀

Por enquanto vou escrever algo em português mesmo na segunda pela manhã pra ver se eu consigo alguma concentração.

Viajar morando fora do Brasil

Depois de perder todo o conteúdo que tive um dia neste espaço, eu resolvi reinstalar e recomeçar tudo aqui escrevendo sobre um assunto que eu tenho pensado e “ruminado” por algum tempo.

Obviamente tudo escrito aqui é apenas uma opinião pessoal e eventualmente algo que eu também percebo.

Quando você mora no país que nasceu, no meu caso o Brasil, então vou considerar apenas o Brasil aqui, e você precisa trabalhar todo o ano para então ter direito à férias para poder fazer uma viagem, quando dá. 🙂

O fato é que nem sempre dá e outro fato é que normalmente ninguém se frustra muito por isso, pelo menos as pessoas que eu conheço não, obviamente ninguém gosta de passar as férias em casa, mas em geral as pessoas não se frustram.

Entretanto, depois de um ano morando fora do Brasil, na Polônia especificamente, tenho passado por uma situação no mínimo estranha que é a sensação de perda de tempo por não estar viajando.

Ora bolas! Você está na Europa e não está viajando?

É….é isso mesmo.

Com base no total empirismo (hueaheuaheuahe) tenho percebido cada vez mais que apesar de estar fora do Brasil eu continuo tendo dificuldades, claro são dificuldades diferentes, mas uma delas é comum: Grana!

Se você sai do Brasil para trabalhar, nem digo recomeçar a vida, mas sim continuar o trabalho que você já tinha no Brasil ganhando um salário compatível e tal, e acha que tudo vai ficar 100% aqui eu tenho uma notícia para te dar: DEPENDE!

O que eu percebo é que quem mora aqui na Europa, Polônia pra diminuir o escopo, e não tem filhos, isso inclui basicamente solteiros e casais sem filhos, tem uma facilidade maior de fazer viagens para conhecer lugares bacanudos e maravilhosos em outros países, mas um casal que já tem um filho sequer sente o peso.

O fato é que, a não ser que você ficou rico e veio pra cá, você veio para trabalhar e tentar viver melhor e, certamente, você conseguirá isso em diversos aspectos se comparado com o Brasil, mas no fundo no fundo a grana não sobra tanto quanto parece. Existem valores intangívels que não entram na conta e se forem comparados com valores financeiros você abriria mão da grana para ter, mas convenhamos, ter uma graninha sobrando também seria bom.

Não sei o que está acontecendo extamente mas, mesmo depois de fazer essa avaliação, observar pessoas e famílias em condições semelhantes à minha, entender as dificuldades, as vantagens e entender boa parte do que é morar fora do seu país natal o fato é que eu tenho sofrido bastante por não estar conseguindo levar minha família para um país qualquer aqui no Verão Europeu e isso tá me fazendo sentir que estou perdendo um tempo na vida.

Bullshit? Provavelmente… as vezes é só falta de experiencia, mas é um sentimento estranho que, na mesma situação estando no Brasil, eu nunca tinha experimentado.

Acho que ainda preciso amadurecer mais e por hora vou ter que lhe dar com isso.

Vou tentar escrever mais daqui em diante e manter uma espécie de diário para mim mesmo e para quem mais se interessar.

Cheers!