Viajar morando fora do Brasil

Depois de perder todo o conteúdo que tive um dia neste espaço, eu resolvi reinstalar e recomeçar tudo aqui escrevendo sobre um assunto que eu tenho pensado e “ruminado” por algum tempo.

Obviamente tudo escrito aqui é apenas uma opinião pessoal e eventualmente algo que eu também percebo.

Quando você mora no país que nasceu, no meu caso o Brasil, então vou considerar apenas o Brasil aqui, e você precisa trabalhar todo o ano para então ter direito à férias para poder fazer uma viagem, quando dá. 🙂

O fato é que nem sempre dá e outro fato é que normalmente ninguém se frustra muito por isso, pelo menos as pessoas que eu conheço não, obviamente ninguém gosta de passar as férias em casa, mas em geral as pessoas não se frustram.

Entretanto, depois de um ano morando fora do Brasil, na Polônia especificamente, tenho passado por uma situação no mínimo estranha que é a sensação de perda de tempo por não estar viajando.

Ora bolas! Você está na Europa e não está viajando?

É….é isso mesmo.

Com base no total empirismo (hueaheuaheuahe) tenho percebido cada vez mais que apesar de estar fora do Brasil eu continuo tendo dificuldades, claro são dificuldades diferentes, mas uma delas é comum: Grana!

Se você sai do Brasil para trabalhar, nem digo recomeçar a vida, mas sim continuar o trabalho que você já tinha no Brasil ganhando um salário compatível e tal, e acha que tudo vai ficar 100% aqui eu tenho uma notícia para te dar: DEPENDE!

O que eu percebo é que quem mora aqui na Europa, Polônia pra diminuir o escopo, e não tem filhos, isso inclui basicamente solteiros e casais sem filhos, tem uma facilidade maior de fazer viagens para conhecer lugares bacanudos e maravilhosos em outros países, mas um casal que já tem um filho sequer sente o peso.

O fato é que, a não ser que você ficou rico e veio pra cá, você veio para trabalhar e tentar viver melhor e, certamente, você conseguirá isso em diversos aspectos se comparado com o Brasil, mas no fundo no fundo a grana não sobra tanto quanto parece. Existem valores intangívels que não entram na conta e se forem comparados com valores financeiros você abriria mão da grana para ter, mas convenhamos, ter uma graninha sobrando também seria bom.

Não sei o que está acontecendo extamente mas, mesmo depois de fazer essa avaliação, observar pessoas e famílias em condições semelhantes à minha, entender as dificuldades, as vantagens e entender boa parte do que é morar fora do seu país natal o fato é que eu tenho sofrido bastante por não estar conseguindo levar minha família para um país qualquer aqui no Verão Europeu e isso tá me fazendo sentir que estou perdendo um tempo na vida.

Bullshit? Provavelmente… as vezes é só falta de experiencia, mas é um sentimento estranho que, na mesma situação estando no Brasil, eu nunca tinha experimentado.

Acho que ainda preciso amadurecer mais e por hora vou ter que lhe dar com isso.

Vou tentar escrever mais daqui em diante e manter uma espécie de diário para mim mesmo e para quem mais se interessar.

Cheers!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *